Quem Somos Documentos Notícias Projectos Como ajudar Apoios e Parcerias Contactos

“Tamo Junto com a Guiné-Bissau, pela saúde de todas as mulheres, jovens e crianças”

A Presidente da CCC, Catarina Furtando, enquanto Embaixadora de Boa Vontade do Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP) e documentarista do programa Príncipes do Nada e dos documentários Dar vida sem Morrer visitou muitas vezes a Guiné-Bissau. Ciente da realidade vivida neste país no que que diz respeito à saúde materna, neo-natal e infantil (com uma das mais altas taxas de mortalidade e morbilidade materno-infantil do mundo), e tendo conhecimento da situação de extrema carência que se vive atualmente na Maternidade do Hospital Nacional Simão Mendes, decidiu agir! Nesta Maternidade, a maior e mais importante do país, realizam-se mensalmente cerca de 900 partos, constituindo cada parto um enorme risco face à precariedade de resposta - escassez de profissionais qualificados, medicamentos essenciais em matéria de saúde materno-infantil, e deficientes instalações. O mobiliário hospitalar (sobretudo camas e berços) é insuficiente e obsoleto, sendo frequente duas parturientes partilharem a mesma cama ou na ausência de berço, o/a recém-nascido/a ficar na mesma da mãe. Camas que na sua quase totalidade, têm colchões impróprios e onde os panos das progenitoras substituem os lençóis inexistentes.

A CCC desenvolveu um projeto para colmatar algumas das urgentes necessidades daquela Maternidade, procurando mobiliário hospitalar e outros materiais que permitam a criação de uma nova ala na Maternidade, dedicada às especialidades de obstetrícia e ginecologia. Neste sentido, foi celebrada com a Santa Casa da Misericórdia de Vila Franca de Xira uma parceria que permitiu a doação e entrega à CCC de mobiliário hospitalar não utilizado, proveniente do antigo hospital (já desativado) desta cidade. O material - mais de 100 camas articuladas (de adulto), colchões, berços de recém-nascidas/os, camas de criança, mesas-de-cabeceira, marquesas para partos, marquesas cirúrgicas, macas e cadeirões articulados - foi recolhido, higienizado e colocado em contentores com destino à Guiné-Bissau. Obtivemos ainda uma doação por parte do SAMS ( Prestação Integrada de Cuidados de Saúde) de lençóis de adulto, de criança e recém-nascido, cobertores,  atoalhados e vestuário de bebé.

Maria Andrade, colaboradora da CCC, esteve durante duas semanas em Bissau para coordenar toda a operação que envolveu trabalhos de reabilitação e pintura da zona destinada à Nova ala da Maternidade, sempre com o apoio dedicado de todos os interlocutores. 

É com enorme orgulho que a CCC partilha que foi possível equipar, com o material doado, 9 enfermarias da Nova ala do serviço de Obstetrícia e Ginecologia (com 51 camas), equipar uma nova sala CCC dentro da Maternidade (com 12 camas e 10 berços de recém nascido), com o remanescente do material a ser distribuído por outros serviços do mesmo hospital, tais como Neonatologia, Pediatria, Cuidados Intensivos, Ortotraumatologia, Fisioterapia, 4º Medicina de Homens e 1ª Medicina Mulheres.  Foi ainda possível para a CCC oferecer 10 ventoinhas e um equipamento de ar condicionado. Para além, houve também material que foi encaminhado para outras instalações de saúde na Guiné-Bissau, tais como o Centro de Saúde de Fulacunda, o Centro de Saúde de Urok, o Centro de Saúde do Bairro Militar e o Centro de Acolhimento Casa Somori.

A CCC faz questão de destacar todo o envolvimento e empenho do Ministério da Saúde, Família e Coesão Social da Guiné-Bissau, da sua Direção Geral da Administração do Sistema de Saúde e ainda da Direção e Administração do HNSM pois só dessa forma foi possível viabilizar e concretizar todo o este projeto.

Da mesma forma não podemos deixar de referir o incansável apoio da Cooperação Portuguesa e da Embaixada de Portugal na Guiné-Bissau.

A cerimónia oficial de inauguração da Nova ala da Maternidade e da entrega do mobiliário hospitalar ocorreu em Bissau no dia 5 de Dezembro de 2018 – Dia Internacional do Voluntariado.

Em 2019 queremos executar a segunda fase do projecto, que prevê o acompanhamento, com recurso humano no local, do funcionamento desta nova ala e a aquisição de novos equipamentos hospitalares, mediante as necessidades identificadas. Para isso, vamos desenvolver contactos e parcerias com ONG’s que operam no país e com a Camões, IP – Instituto da Língua e Cooperação Portuguesa, de forma a unir esforços em torno do objectivo comum.